Pensamos Diferente
Nossos consultores precisam ter boa formação e experiência? Sim. Mas não é só isso. Queremos postura pró-ativa frente a um problema ou oportunidade. Em poucas palavras, aceitar o desafio. Desafio de pensar diferente. Usar a criatividade para pensar em uma solução simples, ao invés de investir em complexidade.
Venha Trabalhar Conosco
Se você concorda com nosso modo de pensar, seus valores são os mesmos que os nossos, você acredita em crescimento profissional constante e gosta de desafios, entre em contato conosco, venha tomar um café e resolver um Case. Você pode trabalhar conosco!
Nossos Valores
  • Ética
  • Comprometimento
  • Confiança
  • Competência

O Lean, o Líder e a Liderança – Parte I

Lider Lean

Outro dia eu recebi de um amigo uma frase que dizia “as pessoas não se demitem por causa das empresas, mas sim por causa dos seus chefes”. Esta frase me fez lembrar do sofrimento desnecessário de milhares de pessoas que não tem um líder e sim um chefe e com isto a baixa eficiência nas empresas.

Ao falar do líder Alexandre Havard em seu livro Virtuous Leadership, insiste em dizer que “o líder não nasce, forja-se” e também diz “somos aquilo que vivemos habitualmente”. O líder deve ter substância e ela vem com a maturidade, não com a velhice, mas é possível conquistar esta “substância de líder”.

Um líder pode motivar a melhoria contínua, um chefe (um pseudo líder) não. O líder pode fazer com que seus liderados se comprometam com o sistema lean; pode motivar que a elaboração do mapeamento de fluxo de valor seja algo natural em seu local de trabalho, e muita outras coisas positivas.

Está certo que viver regularmente hábitos bons, implica em ter valores (verdadeiros), exige um esforço, exige luta pessoal para promover a melhoria contínua em si mesmo. Isto é possível quando se consegue olhar para além do próprio umbigo, quando conseguimos olhar para o bem daqueles que estão a nossa volta, daqueles que dependem de nós, daqueles que podemos ajudar.

Na implementação ou na vivência do sistema Lean ou Sistema Toyota de Produção, David Mann, em Liderança Lean, afirma que o líder Lean deve “ir na frente” fazendo ensinando a fazer, para que os que estão sob sua influência aprendam a fazer. Para isso o líder deve sair de sí mesmo, da sua cadeira, do seu conforto, da sua sala e ir em direção aos liderados e demonstrar num exercício de gemba.

No artigo publicado com o nome Learning to Lead at Toyota, Steve J. Spear, mostra que o personagem Mike Takahasi, o líder experiente, ensina Dallis, o “aprendiz de líder”, que o mais importante no Líder Lean é fazer com que os liderados façam, aprendendo a observar, a analisar, a estudar e propor melhorias.

Se o meu chefe, perdão o meu líder, agir assim e eu sei que o faz porque vivencia o que pede, tem o bom senso de esclarecer os objetivos, está preocupado com os resultados, mas também com meu crescimento pessoal e profissional, então posso me sentir apoiado, desejando permanecer na equipe, na empresa, sob a liderança de um verdadeiro líder.

Me espelhando no líder posso entender e vivenciar melhor os conceitos de Kaizen, Kanban, TPM, “da minha máquina cuido eu”, … “vestir a camisa”. A liderança é fundamental em qualquer sistema, mas principalmente no sistema lean, e só uma pessoa que sabe servir, o líder verdadeiro, pode exercer esta liderança.

 

Share